Vendas por consórcio crescem 40,6% em junho

0 Comentários

Vendas por consórcio crescem 40,6% em junho



Uso de cartas contempladas foi responsável pela negociação de 48.324 veículos. Comercialização de novas cotas também se recupera e devolve confiança ao sistema

De acordo com dados divulgados pela B3, as vendas de veículos por consórcio cresceram 40,6% em junho, na comparação com maio. Dos 385.774 veículos comprados por meio de algum tipo de crédito, 48.324 foram adquiridos por consórcio, o que representa uma participação de 12,52% nas vendas financiadas.

Segundo dados do Banco Central, em 2019, o consórcio era responsável pelas vendas de um em cada quatro veículos financiados no País . O volume de financiamentos de veículos, em todas as suas modalidades (CDC, consórcio e leasing) – incluindo autos leves, motos e pesados, novos e usados – realizados em junho, foi o menor para o mês, desde o início da série histórica, em 2014.

Em relação às novas cotas de consórcio, o último levantamento da ABAC – Associação Brasileira das Administradoras de Consórcios apontou que o mês de maio registrou 35,4% de crescimento em relação ao mês anterior – em abril, foram vendidas 128,35 mil contra 173,83 mil, em maio.

No volume de negócios realizados, houve alta de 18%, chegando a R$ 8,11 bilhões, em maio, contra R$ 6,87 bilhões em abril. “A reversão da tendência observada em maio, que sinalizou possíveis evoluções para os próximos meses, deixou o mercado de consórcios otimista”, explica Paulo Roberto Rossi, presidente-executivo da ABAC. “A retomada das vendas apontou confiança na modalidade e contribuiu para a recuperação de vários setores da economia”, completa.

Apesar do bom desempenho, as adesões acumuladas de janeiro a maio atingiram 1,02 milhão, 12,1% abaixo das 1,16 milhão do mesmo período do ano passado. A totalização dos cinco primeiros meses deste ano somou R$ 48,54 bilhões, 4,3% menos que os R$ 50,7 bilhões anteriores. O tíquete médio mensal esteve em R$ 46,69 mil, assinalando retração de 1,5% sobre os R$ 47,40 mil de maio do ano passado.

O que diz o presidente da ABAC

Para o presidente da ABAC, a segunda metade do ano pode apresentar melhora nas vendas de cotas novas, pois as flexibilizações das quarentenas já estarão mais estruturadas pelo país. “Enxergamos o segundo semestre com otimismo, porém com cautela, visto que ainda há controvérsias no declínio da pandemia no país. O sistema de consórcios continuará conscientizando o consumidor sobre suas características e vantagens, destacando que o mecanismo como investimento é o ideal para os que planejam seus objetivos dentro da essência da educação financeira”.

Banner-final-do-conteúdo

Assine nossa Newsletter Saiba mais sobre consórcio